Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Por Rodrigo Constantino  |  Categoria: Educação  |  Fonte: Blog Rodrigo Constantino
Terça, 19 de Julho de 2016 - 11:53
A+ A A-

DOUTRINAÇÃO

E ainda tem gente que é contra a escola sem partido

Mas claro que a coisa seria deturpada deliberadamente pelos defensores do status quo.

A modinha agora é bater no Escola Sem Partido. Parece que toda a esquerda se uniu com esse intuito. E nem só a esquerda. Ou ao menos nem só quem se assume de esquerda. Há também os “isentões”, que “até” reconhecem o problema apontado, de doutrinação nas escolas, mas discordam dos meios propostos ou minimizam o poder de influência dos professores na era das redes sociais (então por que essa reação desesperada e histérica dos doutrinadores?).

Há exemplos infindáveis para mostrar aqui até onde vai a cara de pau dos militantes disfarçados de professores. Ninguém quer censurar o professor, muito menos impedir qualquer tipo de opinião pessoal. Nas palavras do próprio Miguel Nagib, advogado por trás da ONG Escola Sem Partido que influenciou os projetos de lei:

O projeto não exige “neutralidade” do professor. O projeto só fala em “neutralidade” quando enuncia o princípio constitucional da “neutralidade política, ideológica e religiosa” do Estado. O projeto não impede o professor de apresentar o seu ponto de vista sobre as questões controvertidas apresentadas aos alunos; ele apenas exige que o professor não se limite à sua própria opinião, que apresente aos alunos as “principais” opiniões, teorias e perspectivas concorrentes a respeito da matéria. Principais, obviamente, remete às opiniões  e teorias que gozam de prestígio acadêmico.

Mas claro que a coisa seria deturpada deliberadamente pelos defensores do status quo. Quem minimiza a doutrinação ideológica em curso em nosso país há décadas está a serviço de Gramsci, sabendo ou não disso. Ou seja, ou é agente de desinformação, ou inocente útil. A coisa é muito séria e está em estágio muito avançado. A maior prova de que tocamos na ferida é essa reação ensandecida do PCdoB e companhia. Estão em pânico com a possibilidade de reação contra sua doutrinação toda.

Vejam um dos tantos exemplos esdrúxulos, que infelizmente se replicam país afora, impondo aos alunos uma visão de mundo tacanha, partidária, completamente equivocada:

 

blog

 

É exatamente esse tipo de abuso que queremos impedir, mostrando aos alunos e pais os direitos que eles têm contra um militante desses disfarçado de professor. Quem sabe que esse tipo de absurdo se repete pelo país todo tem a obrigação de lutar pelo Escola Sem Partido. Chega! Não dá mais para aceitar passivamente tanta doutrinação ideológica, que ajuda a transformar nossos alunos em marionetes socialistas. Arrisco dizer que, pensando no longo prazo, não há projeto de lei mais importante do que o Escola Sem Partido.

Siga o CanaãBRASIL no Twitter e no Facebook  

LEIA TAMBÉM

DEIXE SEU COMENTÁRIO

* E-mail:
* Senha:
Seja o primeiro a comentar esta matéria!